terça-feira, dezembro 05, 2006

Música & Som, especial Hard Rock (1982)

Mais um especial Hard-Rock, desta vez estou de regresso com a revista portuguesa Música & Som num artigo de José Ângelo Guerreiro que foi incluído na edição nº75 de Setembro de 1982.
Fica aqui como curiosidade:


6 comentários:

Metal&Cª disse...

Attick este teu Rock no sotão é uma verdadeira preciosidade...
Em 82 tinha pouco mais de 3 anos...talvez tenha sido até aos 10 que o Rock e o Metal tenham começado a entrar na minha vida, assim muito subtilmente...
E os led Zepplin vieram com a descoberta de muitos outros....tantos outros!
Estas tuas memórias das revistas de outros tempos dão me que pensar e dão me pena que o jornalismo de musica em Portugal seja nulo....
Tirando alguns Fanzines, ou algumas revistas como a Loud, ou a blitz, sinto verdadeiramente falta de uma revista que me desperte a atenção,a coriosidade, e prenda o seu leitor...
É uma delicia ver estes teus post!
;)

AtticRock disse...

Olá Metal&Cª
Bem, só posso agradecer tão simpático comentário :)
É este tipo de 'feedback' que dá força à continuação deste projecto.
Em 1982 eu andava pelo 13/14 anos e começava a ouvir som cada vez mais pesado mas também não me satisfazia com a imprensa musical portuguesa apesar daquilo que vai aparecendo por aqui... digo-te mesmo que por esta altura comecei a comprar revistas estrangeiras (Metal Attack, Enfer, Metal Hammer, Rock & Folk, etc) para colmatar a falta de informação das revistas e jornais portugueses sobretudo em relação ao Rock mais pesado, género sempre subestimado pelos críticos.
Acho a Loud e a Blitz bastante boas para o nosso pequeno país apesar de raramente as comprar pois não me interesso muito por coisas novas, deve ter a ver com idade hehe.
Quanto ao Led Zeppelin são simplesmente o meu grupo preferido, tudo teria sido muito diferente no Rock sem eles.
Ok isto já vai longo, força no teu blog e vai aparecendo :)

Kikas disse...

Zeppelin, Zeppelin...snif, snif. Quem não os viu, como eu, não os vê mais. Parece que partilhamos do mesmo sentimento...para mim, só foi o melhor supergrupo de sempre. Quando vi o filme deles, The Song Remains The Same, tinha para aí esses 13 ou 14 anitos que referiste, atticrock...e que filme, que foi aquele...quem viu o "Dazed And Confused", em que o Jimmy Page destruiu completamente o 'arco' com que tocava, e o "Moby Dick", com o John Bonham a tocar com as mãos, nunca mais quer outra coisa. Aquilo é que era 'power'. Sem espinhas, eh eh.
Autênticos 4 Senhores com 'S' grande.
Bem, já se faz tarde e amanhã também é dia.
Força aí para o dois, nos vossos blogs.
Um abraço

AtticRock disse...

Kikas td bem?
Pois é verdade, melhor que Zeppelin só em sonhos :)
Lembro-me de ver esse filme no cinema e da horrível tradução que fizeram: "Rock é Rock mesmo", enfim coisas à portuguesa.
Mais tarde comprei a cassete de video e essa desapareceu-me num daqueles empréstimos 'esquecidos'...
De qualquer maneira como disco acho o "The Song.." o mais fraco dos Zeppelin, fraca imagem deles em concerto. Felizmente "How The West Was Won" veio repor a verdade em termos de Zeppelin ao vivo.
Já agora kikas já te conseguiste safar com o DC? tenho entrado no hub Blesbreakers e é algo de gigantesco a quantidade e qualidade de música que por lá anda. Se quiseres ajuda na configuração não tenhas problemas em enviar-me um email.
Abraços

Kikas disse...

Olá atticrock,
Tá tudo fixe, e contigo, tudo em cima?? Espero que sim...hoje, está um belo dia aqui nos Açores.
É isso mesmo, chamava-se, numa tradução horrorosa, como bem o frisaste, "Rock é rock mesmo"...e tem piada que eu também tenho essa afamada cassete em VHS. Na altura, nem sabia nem fazia a mais pequena ideia, e isto refira-se anos 77 ou 78, de que os Zeppelin tinham realmente esse fabuloso concerto do "How The West Was Won", que só apareceu ao público, já na era digital (se não me engano).
Também existe o famoso DVD duplo (mais de 5 horas) com actuações no Royal Albert Hall (1970), Earls Court (1975), extractos do Madison Square Garden (sim, do concerto retratado no filme) e Knebworth (1979), além de entrevistas, sessões para a rádio Dinamarquesa, promos, DVD este que felizmente já o tenho, comprado na Fnac (desculpa lá a publicidade).
Falando do DC++, realmente preciso de uma ajudazita, já que como deves ter reparado, o meu professor eslovaco, o tal de Mr. KK (aquele com quem eu teclo no chat do Chrisgoesrock), além de ser em Inglês, nem sempre está disponível e dá-me as lições, sempre aos poucos e poucos…eh eh eh. Pelos vistos tenho de ter uma pasta para partilhar com o mínimo de 15Gb, né??!!
Mas esse assunto, será matéria para um mail privado, ok??
Vá, um grande abração e um até já

AtticRock disse...

Olá kikas
É verdade, o mínimo são 15 GB mas podem ser ficheiros de várias pastas as quais vais adicionando 1 a 1.
Por exemplo:
Pasta Rock = 10 GB
Pasta Blues = 5 GB
Neste caso já tens o suficiente para partilhar.
Estes parâmetros são todos definidos nos settings assim como os 'upload slots' cujo mínimo são 2.
De qualquer forma posso explicar-te isto tudo mais em detalhe mas realmente aqui não é o sitio indicado, talvez quando eu fizer um blog dedicado a software hehe :)