sexta-feira, maio 13, 2016

Blues Pills ao vivo em Lisboa

Dia 5 de março deste ano, uma noite de sábado com chuva miúda e derby de futebol a decorrer a muito poucos quilómetros.
O local, RCA Club em Lisboa na zona de Alvalade e no cartaz Pristine e Blues Pills.
Da Noruega veio Pristine, a banda que fez a primeira parte, com carismática cantora feminina, de seu nome Heidi Solheim, e que mostrou ter qualidade e ser perfeita para esta noite visto que também navegam por mares musicais próximos dos cabeça-de-cartaz.
Quanto aos Blues Pills as espetativas de virmos a assistir a um grande concerto eram altas e foi o que todos os que a ele assistiram tiveram direito, ou para ser mais exato privilégio pois música desta, bem executada e com o suporte de um bom som na sala não acontece assim tanto por cá.
Com elementos nascidos na Suécia, Estados Unidos e França pode dizer-se que Blues Pills é uma multinacional do Blues Rock com notórias influências da boa música Rock, Soul e Blues dos anos 60 e 70 e grandes ativos tem em cada um dos seus músicos.
São estes Elin Larsson, dona de voz poderosa que com a sua energia e cabelo loiro comprido esvoaçante cria um forte impacto visual, a certíssima dupla rítmica, Zach Anderson na viola-baixo e André Kvarnström na bateria e o mais jovem de todos Dorian Sorriaux simplesmente perfeito na guitarra.
As músicas do alinhamento (que não anotei) pareceram-me ser o percorrer de quase todo o álbum de estúdio de 2014 e o EP Bliss.
Chamo a atenção para o novo disco, de título anunciado Lady In Gold, e que tem lançamento previsto para agosto deste ano.
Se necessário fosse temos aqui motivo suficiente para que voltem a Portugal em breve e novamente possam deixar de sorriso na cara todos os que assitiram.




sexta-feira, abril 15, 2016

Regresso a 1995 com Vargas Blues Band

Descobri o guitarrista espanhol Javier Vargas com este disco, precisamente comprado em Espanha, e após ter lido critica favorável ao mesmo. Escuta-lo foi uma boa surpresa pela boa mistura do tradicional Blues elétrico com um Rock por vezes próximo do Hard. Fez-me lembrar Stevie Ray Vaughan (e até pelas semelhanças na imagem).
Depois adquiri vários outros trabalhos de Vargas onde o músico se aventura por campos próximos da música tradicional latina como o flamenco mas sempre com um traço de Blues bem delineado.
Fica então a sugestão: Vargas Blues Band e Texas Tango, gravado em Memphis, Tennessee e produzido por Jim Gaines (Santana, Stevie Ray Vaughan, Van Morrison, Ronnie Montrose, etc, etc).
Deixo aqui a crónica sobre o disco publicada na Metal Hammer, edição espanhola, com o número 97 de dezembro de 1995.


E uma amostra sonora disponível no Youtube.


segunda-feira, fevereiro 22, 2016

Som Motorhead

Adquiri o gosto pelo som Motorhead por volta de 1980/81, primeiro com os discos Bomber e Ace of Spades depois com os outros, muito naturalmente através das emissões radiofónicas de António Sergio.
Recordo-me em particular de um especial no programa 'Som da Frente' ao longo de três sábados à noite e que me fez ficar colado ao pequeno gravador de cassetes que tinha na altura. Claro que gravei estes especiais e depois ouvi-os inúmeras vezes. Infelizmente há muito que deixei de ter as gravações mas se alguém souber a que me refiro e tenha cópias em seu poder agradeço muito que me contacte.
De memória tenho que estes programas foram feitos com o suporte de textos por José Manuel Simões (posso estar errado aqui). No decorrer do primeiro ou do segundo, António Sérgio solicitou que algum ouvinte que tivesse na sua posse o disco ao vivo No Sleep 'til Hammersmith, que tinha sido editado recentemente em Inglaterra, o pudesse emprestar de forma a ter som deste disco para ilustrar a última parte do especial. E sim, alguém apareceu com o vinil e tivemos direito a ouvir algumas das suas faixas. Este disco marcou o auge do sucesso comercial dos Motorhead chegando mesmo a número 1 no top de vendas Britânico relativo a álbuns.
António Sergio já não está entre nós mas não consigo nomear quem mais pudesse fazer agora uma emissão de homenagem a Lemmy...  Aliás a rádio de autor praticamente não existe em Portugal e quando se trata de Rock então o panorama é desolador. Felizmente temos a internet e os seus vastos recursos e conteúdos.
E por falar nisso aqui fica ligação ao tributo realizado pela Classic Rock Magazine em formato rádio e com apresentação de Nicky Horne. A não perder!
Para ouvir aqui.


Parte do impacto que a morte de Lemmy provocou pode ser visto através das capas de algumas publicações.
Em França a revista Rock & Folk e o jornal Liberation disseram adeus a Lemmy com capa dedicada.

 

Em Portugal a nossa Loud! na sua edição 179 celebra a vida de Lemmy com capa e artigo de homenagem.



Algumas revistas da especialidade:





E na imprensa generalista pelo mundo, desde a Bélgica à Venezuela:



terça-feira, janeiro 26, 2016

Em 2016 o Rock volta a Portugal!




Não tenho memória de ver tantos grandes do Rock num único ano como os que já foram anunciados oficialmente para este 2016.
Para pôr alguma ordem nisto aqui ficam os nomes que mais importam com a informação de datas e locais associados.
Este post será atualizado convenientemente.

Março
Blues Pills
Dias 4 (6ª) e 5 (sab) Hard Club, Porto e RCA Club, Lisboa

Eagles of Death Metal
Dia 5 (sab) Coliseu dos Recreios, Lisboa

Baroness
Dia 6 (dom) Paradise Garage, Lisboa


Abril
Carl Palmer's ELP Legacy
Dia 2 (sab) Paradise Garage, Lisboa


Maio
AC/DC
Dia 7 (sab) Passeio Marítimo de Algés, Oeiras

Bruce Springsteen
Dia 19 (5ª) Festival Rock in Rio, Lisboa

Queen & Adam Lambert
Dia 20 (6ª) Festival Rock in Rio, Lisboa

Manilla Road
Dias 20 (6ª) e 21 (sab) Cave 45, Porto e RCA Club, Lisboa

Rival Sons
Hollywood Vampires (Johnny Depp, Alice Cooper e Joe Perry)
Dia 27 (6ª) Festival Rock in Rio, Lisboa


Junho
D-A-D
Dia 2 (5ª) Paradise Garage, Lisboa

Scorpions
Dia 28 (3ª) MEO Arena, Lisboa


Julho

Robert Plant
Pixies
Vintage Trouble
Dia 7 (5ª) Festival NOS Alive

Radiohead
Tame Impala
Dia 8 (6ª) Festival NOS Alive

Arcade Fire
Dia 9 (sab) Festival NOS Alive

Iron Maiden + The Raven Age
Dia 11 (2ª) MEO Arena, Lisboa

Iggy Pop
Dia 15 (6ª) Festival Super Bock Super Rock, Lisboa

Steve Vai
Dias 23 (sab) e 24 (dom) C.C.B., Lisboa e Hard Club, Porto

Carlos Santana
Dia 27 (4ª) MEO Arena, Lisboa


Setembro
Y & T
Dia 24 (sab) RCA Club, Lisboa


Outubro
The Mission
Dias 11 (3ª) e 12 (4ª) Hard Club, Porto e Paradise Garage, Lisboa



sexta-feira, janeiro 22, 2016

O melhor de 2015, uma seleção Rock no Sótão


Eis que chega o grande balanço do ano de 2015 com o carimbo Rock no Sótão.
Começo com a lista principal e uma escolha de dez discos de estúdio sendo que no topo estão os mais apreciados.

The Sheepdogs – Future Nostalgia
Iron Maiden - The Book Of Souls
Pat Travers - Retro Rocket
Bachman - Heavy Blues
Neil Young and Promise Of The Real - The Monsanto Years
Mystic Braves - Days of Yesteryear
Delta Deep - Delta Deep
Witchwood - Litanies From The Woods
Motorhead - Bad Magic
Ghost - Meliora


Foi um ano com edição de vários live e os seguintes merecem destaque:

Sammy Hagar & The Circle - At Your Service
Blues Pills - Live
Ty Segall Band - Live In San Francisco
Joe Bonamassa - Muddy Wolf at Red Rocks
Joe Bonamassa - Live At Radio City Music Hall
Anderson Ponty Band ‎– Better Late Than Never


Fora do conjunto 'melhores do ano' mas ainda assim interessantes não quero deixar de referir:

UFO - A Conspiracy Of Stars
Michael Schenker's Temple Of Rock - Spirit on a Mission
Howlin' Rain - Mansion Songs
Paradise Lost - The Plague Within
Black Star Riders - The Killer Instinct
Robin Trower - Something's About To Change
Jorge Salan & The Majestic Jaywalkers - Madrid-Texas
Graveyard - Innocence & Decadence


Representantes nacionais:
Vitor Bacalhau - Brand New Dawn
Budda Power Blues - Budda Power Blues


Não é habitual prestar atenção a discos de tributo mas ouvi e gostei de um trabalho dedicado aos Queen com participações de Lemmy, Geoff Tate, James LaBrie, Robin Zander, Glenn Hughes, L.A. Guns, Great White, Jake E. Lee, Robby Krieger entre outros.
Vários - Keep Calm And Salute Queen